O MACACOS AQUÁTICOS 2020 ESTÁ CONFIRMADO!

Mas vocês precisam saber que decisão de não cancelar o evento foi tomada de forma muito cuidadosa. Para nós é importante compartilhar publicamente todas as questões que nos levaram a manter o evento e a forma como estamos propondo realizá-lo.

Antes de tudo, os fatos aos quais tivemos acesso até aqui (25/11/2019):

Moreré foi, de fato, pouco impactada pelo óleo até agora. O que chegou até as praias tem sido limpo rapidamente. O Sr. Clóvis, que nos hospeda, tem transmitido tranquilidade e confiança quando se comunica conosco, e temos todos os motivos para acreditar em sua honestidade. Obviamente ele, como todos os moradores e empreendedores de Moreré, têm grande preocupação com esse assunto e a perspectiva de cancelamentos e baixa frequência de pessoas no verão que se aproxima.

Embora as notícias sejam animadoras, é preciso dizer que há impactos que podem não estar evidentes, como partículas de óleo invisíveis e a possibilidade de contaminação pelo fundo do mar. Além disso, o impacto nos corais e manguezais é muito mais difícil de dimensionar e limpar que o que aparece na areia. Também não sabemos o que ainda pode vir a acontecer. Parece que boa parte do óleo já se dirigiu para o Sudeste, mas não há garantias de que nada mais chegará às praias do Nordeste.

Em todas as edições anteriores, as atividades do Macacos Aquáticos precisaram ser adaptáveis às condições do mar e do clima. Por exemplo, houve um ano de muita chuva, que nos obrigou a criar outras propostas fora do mar. Desta vez, precisaremos estar ainda mais preparados para a necessidade de um “plano B”.

Temos duas possibilidades extremas:

Na melhor das hipóteses, verificamos que tudo está bem em Moreré e com plenas condições de realizar todas as atividades propostas. No pior cenário, não poderemos realizar as práticas no mar e será necessário reduzir as atividades aquáticas ao mínimo (alguns rios ainda poderiam ser utilizados) ou mesmo permanecer fora d’água todo o tempo.

Neste último caso, temos muitos recursos para oferecer em terra: práticas relacionadas a dança, movimento e interação com a paisagem natural. De fato, já é o que acontece, especialmente desde o ano passado, em que Conrado trouxe as práticas do desenho meditativo e práticas vocais com foco nas emoções. A água ainda estará presente! Além daquilo que cada participante trouxer em sua bagagem de talentos.

Também nos sentimos bastante desafiados a não dar às costas à Moreré nesse momento. Aquele lugar, que já nos deu tantas alegrias, merece nossa presença agora! As pessoas que lá vivem e trabalham sofreriam ainda mais com o abandono de seus frequentadores. Não nos parece justo e ético simplesmente desistir de realizar o evento. Essa decisão é coerente com nossa crítica a um modelo de turismo hedonista, individualista e predatório que repudiamos em todos os sentidos!

Não seria justo simplesmente cancelar o Macacos Aquáticos. Mas também não é possível realizá-lo como se nada estivesse acontecendo... Nossa saída, então, é chamar todas as pessoas interessadas em participar para dividir esta responsabilidade conosco.

Entendemos que, agora, o chamado para o Macacos Aquáticos 2020 não é apenas um convite, mas um pedido de suporte e cumplicidade! Para as praias do Nordeste, para Moreré, mas também para nosso evento. Um chamado pessoal, mesmo. Um pedido de co-responsabilidade nesse território de riscos, surpresas, belezas, erros e acertos que ocupamos dançando e compartilhando dança. Vai ser lindo estar, mais uma vez, junto com gente disposta a tudo isso!

Estamos comprometidos a discutir abertamente com o grupo quaisquer questões organizacionais e financeiras sempre que a necessidade se apresentar.

Acreditamos que tudo vai fluir da melhor maneira e que estaremos compartilhando presença lá em Moreré. Vai ser maravilhoso seja como for!