(english)

Through diverse paths and contexts, Hugo Leonardo dedicates himself to Dance as an open, choreographic or not poetic-relational game, which identifies and signs as  Uncontemplated Dance.

In this history, Hugo developed an extensive and intense activity in the practice community of Contact Improvisation in Brazil and in several countries, since 2001, in which it is posible to highlight the idealization and artistic direction of the EmComTato Festival - inaugurated in 2010 in Salvador-Bahia and currently performed in Palmeiras, in the interior of Bahia - and the annual Aquatic Monkeys workshop: Contact Improvisation and other uncontemplated dances in Water, since 2015, in the coast of Bahia.

Master in Dance (2008) and PhD in Performing Arts (2013) by the Federal University of Bahia UFBA, whose artistic-academic course was dedicated to reflection and theoretical-practical articulation around themes of improvisation in dance and studies in the field of cognition, resulting in the authorship of the book "Poetica da Oportunidade: Estruturas oreográficas Abertas à Improvisação" (EDUFBA, 2009) and "Desabituação Compartilhada: contato improvisação, jogo de dança e vertigem" (Independent, 2014).

Builder, dreamer and gardener of NAU Nascente de Artes e Utopia, in a 5 hectare rural property located in the limits of Chapada Diamantina National Park, as home and space for creative residences dedicated to the cultivation of knowledge and networks for utopian and poetic realities. 

He has worked as a dancer in Group X of Improvisation in Dance (Salvador 2002-2012), choreographic direction of Fafá Daltro, in GP CorpoAudivisual (Salvador 2006-2012), artistic and choreographic direction of Ivani Santana and in GDC Contemporary Dance Group of UFBA ( 2004-2006), artistic direction of Dulce Aquino and choreographic direction of Ivani Santana.

 

 

HUGO LEONARDO

Por caminhos e contextos diversos dedica-se à Dança como um jogo poético-relacional aberto, coreográfico ou não, o qual identifica e assina autoralmente como Dança Imprevista.

Neste histórico se destaca a atuação extensa e intensa na comunidade de prática do Contato Improvisação no Brasil e em diversos países, desde 2001, a idealização e direção artística do EmComTato Festival de Arte Movimento e Vida -inaugurado em 2010 em Salvador-Bahia e atualmente realizado em Palmeiras, no interior da Bahia – e o workshop anual Macacos Aquáticos: Contato Improvisação e outras danças imprevistas na Água, desde 2015, no litoral da Bahia. 

Mestre em Dança (2008) e Doutor em Artes Cênicas (2013) pela Universidade Federal da Bahia, em cujo percurso artístico-acadêmico se dedicou especialmente à reflexão e à articulação teórico-prática em torno de temas da improvisação em dança e estudos no campo da cognição, resultando na autoria dos livros “Poética da Oportunidade: Estruturas Coreográficas Abertas à Improvisação” (EDUFBA, 2009) e “Desabituação Compartilhada: contato improvisação, jogo de dança e vertigem” (Independente, 2014).

É construtor, sonhador e jardineiro da NAU Nascente de Artes e Utopia, em uma propriedade rural de 5 hectares localizada nos limites do Parque Nacional da Chapada Diamantina, como lar e espaço de residências de criação dedicado ao cultivo de conhecimento e redes para realidades utopistas e poéticas.

Atuou como dançarino do Grupo X de Improvisação em Dança (Salvador 2002-2012), direção coreográfica de Fafá Daltro, no GP CorpoAudivisual (Salvador 2006-2012), direção artística e coreográfica de Ivani Santana e no GDC Grupo de Dança Contemporânea da UFBA (2004-2006), direção artística de Dulce Aquino e direção coreográfica de Ivani Santana.